voltar

AUTOGERENCIAMENTO: COMO GERENCIAR O TRABALHO REMOTO COM EFICÁCIA

08.09.2021
AUTOGERENCIAMENTO: COMO GERENCIAR O TRABALHO REMOTO COM EFICÁCIA

Nas condições modernas, surge um novo tipo de habilidade: o autogerenciamento. O uso consistente e apropriado de métodos eficazes de trabalho na prática diária com o uso otimizado de recursos para atingir objetivos.

A incerteza da pandemia levou muitas equipes de Recursos Humanos a saírem da zona de conforto e adotarem o modelo de trabalho remoto. No País,  a estratégia foi abraçada por 46% das empresas durante a pandemia, segundo a Pesquisa Gestão de Pessoas na Crise covid-19, elaborado pela Fundação Instituto de Administração (FIA)

Com isso, é necessário medir o profundo impacto do surto da COVID-19 na gestão de Recursos Humanos como, por exemplo, tempo e boas práticas de trabalho remoto, autogestão e metas.

A rotina de interação e produtividade à distância já foi estabelecida durante a quarentena. E, mesmo após o fim desta crise sanitária e econômica, tudo indica que os modelos de trabalho serão mistos. Como gestor de Recursos Humanos, é necessário perceber que esta pandemia impõe desafios aos processos de trabalho, gestão dos colaboradores, aprendizagem da equipe e gestão de riscos. Compreenda mais a respeito do autogerenciamento.

Autogerenciamento: uma habilidade vital para o trabalho remoto 

A chamada autogestão, ou autogerenciamento, refere-se à gestão do indivíduo de si mesmo, de seus próprios objetivos, pensamentos, psicologia e comportamento. 

Organizar-se, restringir-se, motivar-se e administrar suas próprias demandas é um processo que finalmente completa o objetivo da luta pessoal.

Como prática inovadora de empresas líderes, o autogerenciamento dos funcionários está ganhando cada vez mais reconhecimento, aprendizado e inovação. As equipes autogerenciadas tem três valores principais para a construção organizacional:

  • Um conduz à construção de uma organização de desempenho.

  • A segunda é propícia à construção de uma organização vital.

  • O terceiro é propício para a construção de uma organização harmoniosa.


Compreender o conceito de equipes autogerenciadas

As equipes autogerenciadas são equipes de trabalho que retém características básicas da equipe de trabalho tradicional, mas agregam técnicas de autogestão, responsabilidade própria e autoliderança no modo operacional. 

Uma equipe no modelo de autogerenciamento, de acordo com Wellinetal, é composta por funcionários com as seguintes responsabilidades:

  1. Autogestão: planejamento, organização, controle e monitoramento;

  2. Atribuição demanda aos demais membros;

  3. Planejamento e organização o cronograma de trabalho;

  4. Tomada decisões relacionadas à produção;

  5. Resolução de problemas.

As equipes autogerenciadas são a nova base da organização horizontal. Como as funções em equipes autogerenciadas são muito mais fluidas do que em equipes hierárquicas, os membros do time podem ter maior liberdade de ação sobre seu trabalho, o que pode levar a uma maior motivação e melhor desempenho.

Cultura de gestão e equipes autogerenciadas

Ter uma gestão de elite é um elemento que garante o bom desenvolvimento das equipes autogerenciadas. O chamado sistema de gestão de elite é o sistema de seleção de talentos, estratégia de promoção e sistema salarial de "nomear as pessoas por seus próprios méritos, com base em seus méritos". Nessa cultura organizacional saudável, os funcionários eliminam a concorrência feroz e buscam cooperação mútua.

Ao integrar profissionais com habilidades e conhecimentos distintos, as equipes de trabalho podem utilizar os recursos disponíveis de maneira adequada, ser criativas e eficientes ao resolver problemas, tomar decisões de alta qualidade, gerar melhores produtos e serviços que signifiquem processos melhorados.

Entretanto, sua equipe possui ferramentas para o autogerenciamento e bem-estar?

Como melhorar a autogestão e o bem-estar da equipe no trabalho remoto?

Aqui estão algumas técnicas para ajudar sua equipe a trabalhar com eficácia: 

1) Use ferramentas online para organizar o trabalho em equipe. Nós recomendamos:

  • Trello: gerenciador de tarefas. É conveniente definir tarefas e monitorar sua implementação;

  • Slack:  um programa de comunicação entre funcionários. É conveniente enviar mensagens e documentos individuais, criar grupos para discutir vários assuntos, fazer chamadas de áudio;  

  • Documentos, calendários e softwares em nuvem:  você pode organizar documentos em pastas, abrir o acesso a uma equipe, deixar comentários e edições para vários usuários ao mesmo tempo e agendar compromissos gerais e individuais;

  • Ferramentas de videoconferência:  conveniente para videochamadas e reuniões com toda a equipe)

2) Ao formular a tarefa, explique não apenas o que precisa ser feito, mas também por quê. Qualquer pessoa trabalha pior às cegas do que quando entende o significado de suas ações. 

3) Se você discutir tarefas oralmente (durante uma chamada, por exemplo), não se esqueça de duplicar os acordos principais por escrito. 

4) Registre os prazos por email ou plataformas de gestão de demandas. 

5) Planeje pontos de controle intermediários. Faz sentido dividir grandes tarefas em várias interações para garantir que o executor entenda a tarefa corretamente e esteja se movendo na direção certa. 

Impacto do autogerenciamento na saúde corporativa

A Organização Mundial da Saúde classificou o burnout como uma síndrome resultante do estresse crônico no local de trabalho que não foi administrado com sucesso. 

Este problema global continuará se gestores de RH não puderem mudar a forma como o pessoal trabalha. Uma condição de trabalho saudável, equilibrada e sustentável deve ser um dos objetivos dos departamentos de Recursos Humanos.

Integrantes de equipes autogerenciadas podem ter a ilusão de produtividade, mas o controle insuficiente sobre quanto esforço as pessoas colocam em seu trabalho, isso nunca será sustentável. 

Trabalhar muitas horas é uma coisa, mas se o funcionário começar a se esquecer das coisas aparentemente simples, como fazer pausas suficientes, pode colocar a saúde em risco.

Equipes e funcionários em autogerenciamento precisam de apoio tanto na prevenção do esgotamento quanto no desenvolvimento de habilidades para gerenciar o trabalho de forma mais saudável e equilibrada.

Como gestor de Recursos Humanos focado no bem-estar, você não ajuda apenas suas equipes autogerenciadas a ter sucesso, mas também a organização a prosperar de maneira sustentável. 

Para ajudá-lo nessa empreitada, a MDS Brasil oferece, em parceria com a ARHYA, uma ferramenta de autogestão para rastrear o bem-estar corporativo de uma forma atraente e sem atrito, mas também para aprender e abordar questões emergentes, como prevenção.

Quer uma empresa saudável e com um plano de autogestão de qualidade? Conte com a MDS.

FALE COM UM DE NOSSOS ESPECIALISTAS 
Siga também as nossas páginas no LinkedIn, Facebook e Instagram para acompanhar o panorama,  tendências e as novidades do mercado. 
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, você está consentindo o seu uso.Saiba mais

Compreendi