voltar

CONFRATERNIZAÇÃO DE FIM DE ANO REQUER CUIDADOS DURANTE A PANDEMIA

24.12.2020
 CONFRATERNIZAÇÃO DE FIM DE ANO REQUER CUIDADOS DURANTE A PANDEMIA

A confraternização de fim de ano será diferente em 2020. Enquanto o país aguarda vacinas seguras e eficientes para imunização em massa da população, a elevada circulação do coronavírus no Brasil e as necessárias medidas preventivas contra covid-19 já levaram ao cancelamento das grandes festas de comemoração de ano novo, como, por exemplo, a emblemática queima de fogos do Reveillon do Rio de Janeiro (considerada uma das maiores eventos do mundo).  


Até mesmo a tradicional e tão aguardada reunião familiar para a Ceia de Natal e véspera de Ano Novo terá de ser drasticamente remodelada, seguindo as orientações de isolamento social e higiene tão necessárias e eficientes para evitar novas contaminações pelo coronavírus. A exemplo da explosão de novos casos de covid-19 nos Estados Unidos após o feriado de Ação de Graças, o Brasil precisa se precaver ao máximo durante as festividades de dezembro para não repetir este triste cenário por aqui.


 É extremamente importante ressaltar que não existe confraternização de fim de ano sem riscos durante a pandemia. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), qualquer tipo de viagem ou festa durante a pandemia aumenta as chances de contaminação e, consequentemente, novos casos de covid-19.


Como fazer uma confraternização de final de ano menos arriscada?


Com as medidas de isolamento social impostas desde março de 2020 no Brasil, é natural que as pessoas sintam a falta de reencontrar familiares e amigos para a  confraternização de fim de ano. Mesmo assim, a principal recomendação de autoridades de saúde, como a OMS e a Sociedade Brasileira de Infectologia é que, idealmente, as reuniões e encontros nestas festividades sejam evitadas, principalmente entre núcleos familiares diferentes.


Até mesmo as reuniões de confraternização de final de ano entre as pessoas que moram em uma mesma casa precisam de uma série de cuidados especiais e medidas de higiene e distanciamento, principalmente durante as refeições e consumo de bebidas, quando as pessoas precisam retirar suas máscaras.


Por isso, elaboramos uma série de perguntas e respostas com as dúvidas mais frequentes para que as pessoas possam mitigar ao máximo os riscos de contaminação pelo coronavírus no Brasil. Lembramos que, neste momento, nenhum cuidado é exagerado e nossas escolhas e ações individuais também afetam não só nossos familiares e a comunidade ao redor, mas toda a sociedade.

  •  É necessário fazer isolamento social antes da confraternização de fim de ano?

Resposta: Sim, a medida é fundamental. Quem vai receber ou visitar a casa de alguém, mesmo que a reunião seja limitada a um número reduzido de convidados, deve permanecer pelo menos 14 dias em isolamento social antes da data do encontro. 


  •   Quem já teve a covid-19 não oferece mais riscos às pessoas? 

Resposta: Mesmo os curados ainda precisam se proteger. Os pacientes já recuperados da covid-19 podem atuar como veículo de transmissão  como qualquer outra pessoa, ou até estar sujeito a uma reinfecção pelo coronavírus. A ciência ainda estuda se os anticorpos produzidos por indivíduos que já se infectaram são capazes de criar imunidade permanente.

  •    Podemos ingerir bebidas alcoólicas normalmente durante durante uma confraternização de fim de ano? 


Resposta: É melhor evitar. Além de prejudicar o sistema imunológico, os efeitos do álcool podem afetar as tomadas de decisões e levar as pessoas a relaxarem involuntariamente as medidas de afastamento e higiene necessárias para evitar novos contágios.  Álcool e pandemia não combinam. 



  •             É verdade que ambientes com música alta aumentam os riscos de contaminação?

Resposta. Sim, é verdade. Quando o som ambiente está alto, a tendência é que as pessoas no local acabam ficando mais próximas para conversar, ou mesmo retirando suas máscaras para que possam falar e ser ouvidas. Além disso, quanto mais alto uma pessoa precisa falar, mais ela acaba gerando partículas de saliva no ar, o que aumenta drasticamente as chances de espalhamento e contaminação do vírus. 




Medidas preventivas contra a covid-19


Relembramos que, seja na confraternização de fim de ano ou em qualquer situação cotidiana, a população ainda não está totalmente segura do contágio do novo coronavírus. Todos os cuidados devem ser tomados para a autoproteção e a proteção das pessoas à nossa volta.


Enquanto não houver uma vacina eficiente e segura que seja aplicada para promover uma imunização em massa, lavar as mãos constantemente com água e sabão ou higienizá-las com álcool em gel, usar máscaras descartáveis ou de tecido sempre que precisar sair às ruas e, principalmente, evitar aglomerações desnecessárias.


Juntos, podemos diminuir a circulação do coronavírus no Brasil e tomar os cuidados necessários neste novo normal. A MDS deseja a todos um final de ano feliz e protegido. Estamos todos unidos nesta missão e trabalhamos para manter você informado. Cuide-se!


Seja do tipo que cuida da saúde!

#MDSBrasil #Prevenção #Saude #Health #DicasMDS

Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, você está consentindo o seu uso.Saiba mais

Compreendi