voltar

O risco ambiental é uma variável de perdas no mercado. Veja como evitá-lo.

14.06.2021
O risco ambiental é uma variável de perdas no mercado. Veja como evitá-lo.

O risco ambiental existe em praticamente todas as atividades humanas e econômicas, em menor ou maior grau de exposição. A ciência desenvolveu o conhecimento necessário para que pessoas e empresas possam identificar e mitigar os tipos de riscos ambientais presentes no cotidiano, mas, mesmo munidos de diversas técnicas e mecanismos  para planejar como prevenir os riscos ambientais, os danos ao ecossistema e as perdas financeiras decorrentes de sua degradação ainda desafiam as empresas e governos em todas as partes do planeta. 

 

As discussões acerca do ambientalismo seguem em ascensão no mundo corporativo: segundo mostra a pesquisa realizada pelo IBGE com 117 mil empresas, entre 2015 e 2017 houve redução em 51,3% da contaminação do solo, da água, de ruído ou do ar por parte dessas organizações. Entretanto, vale dizer que essa crescente preocupação não está vinculada apenas à conscientização sobre a preservação ambiental, mas também ao fato de que, pouco a pouco, as companhias passam a enxergar que a prevenção de riscos ambientais é inerente a todos os mercados, e as consequências dos danos - permanentes ou não - ao ecossistema reverberam no desempenho, imagem lucratividade e reputação empresarial.

 

Prevenção de riscos ambientais e governança 

 

O risco ambiental é inerente às atividades empresariais e, ainda assim, o Brasil ainda tem um longo caminho para reduzir e mitigar essas ameaças. Enquanto mais de 90% dos municípios brasileiros enfrentam algum tipo de risco ambiental, poucas empresas consideram que a prevenção dos riscos ambientais seja uma ação estratégica para os negócios.  

 

Segundo um relatório realizado pela Carbon Disclosure Initiative (CDP) e que consultou 300 organizações brasileiras aponta que a maioria das empresas está sob risco, mas que, dos 66% que afirmaram contar com algum dispositivo de identificação de risco ambiental, somente 30% leva a questão para suas estratégias e apenas 19% apresenta um programa de prevenção de riscos ambientais ativo.  

 

"A prevenção do risco ambiental vai além das auditorias compulsórias. Quando bem elaborada e executada na empresa, essa estratégia previne perdas consideráveis para sua receita, agrega reputação e autoridade ao seu compliance ambiental e impulsiona o seu crescimento sustentável”, reforça Camila. Desta forma, um programa de prevenção de riscos ambientais precisa pautar não apenas a identificação e mitigação dessas ameaças, mas também analisar cautelosamente os danos ambientais decorrentes de todas as atividades empresariais efetuadas na instituição e as responsabilidades dos envolvidos em caso de não conformidades. 

 

Seguro de Riscos Ambientais X Cláusula de Poluição Súbita: por que não é a mesma coisa? 

 

Não são raras as vezes em que coberturas de Poluição Súbita são oferecidas junta apólices de Responsabilidade Civil geral como a solução para qualquer exposição ambiental. Mas, apesar de útil, essa proteção é muito mais restrita do que um seguro de Riscos Ambientais.  

 

Confira as principais diferenças: 

 

  1. A Poluição Súbita ampara danos físicos e materiais causados a terceiros, logo, problemas relacionados à própria empresa não estão inclusos.  
  1. Há cobertura desde que a origem do poluente (emissão, descarga, dispersão, desprendimento, escape, emanação ou vazamento de substância tóxica) tenha se iniciado e cessado em até 72h; 

  1. Em caso de vazamentos, descargas ou escapes, o amparo da cláusula de Poluição Súbita só se aplica a depósitos, tubulações ou dutos que estejam localizados no nível ou acima da superfície do solo ou da água. 

 

Em resumo, a cobertura de Poluição Súbita não ampara: 

  • Danos causados ao local de risco segurado; 

  • Reclamações de terceiros após 72 horas da ocorrência; 

  • Fenômenos naturais; 

  • Custos de limpeza; 

  • Cobertura restrita a bens naturais de titularidade privada. 

 

Por que considerar um Seguro de Riscos Ambientais? 

 

O Seguro de Riscos Ambientais é uma importante ferramenta para as empresas. Suas principais coberturas abrangem as indenizações de custos e despesas de ações judiciais de responsabilidade civil acerca de danos materiais, corporais e morais a terceiros e os danos causados aos recursos naturais afetados. Este tipo de proteção pode ser essencial para que a empresa tenha a alavancagem financeira necessária para a continuidade dos negócios. 

 

  • Ampara poluição súbita ou gradual; 

  • Cobre danos causados ao site segurado ou site de terceiros;  

  • Custos de limpeza (clean-up); 

  • Cobertura para danos sob o solo ou lençol freático;  

  • Danos pessoais e materiais a terceiros;  

  • Corresponsabilidade pelo descarte de resíduos; 

  • Cobertura para danos aos bens naturais públicos; 

  • Proteção ao patrimônio dos administradores. 

 

E não para por aí! Além de abranger cada uma dessas vantagens, o Seguro de Riscos Ambientais da MDS Brasil conta com apólices desenvolvidas sob medida para cada empresa, de acordo com a sua necessidade, eliminando gaps e combinando soluções de proteção a partir de uma minuciosa análise de riscos.

 

Nosso programa é completo e estruturado e, por isso, oferece: 

 

  • Cláusulas All Risks de maior abrangência 

  • Parceria com autoridades locais para a aceitação dos riscos identificados 

  • Equipe própria de engenheiros ambientais dedicados 

  • Atendimento especializado para emergências e regulação de sinistros complexos.  

 

Tudo pensado para antever e mitigar ameaças  e garantir a continuidade dos negócios. 

  

FALE COM NOSSOS ESPECIALISTAS  

 

E descubra como podemos transformar os riscos em oportunidades reais de crescimento. Acompanhe também nossas páginas no LinkedIn, Facebook e Instagram  para ficar a par das principais tendências, insights e as novidades do mercado.  

 


Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, você está consentindo o seu uso.Saiba mais

Compreendi