voltar

FONTES RENOVÁVEIS DE ENERGIA: ENTENDA O QUE É E SUA REAL IMPORTÂNCIA PARA O BRASIL E O MUNDO

12.11.2021
FONTES RENOVÁVEIS DE ENERGIA: ENTENDA O QUE É E SUA REAL IMPORTÂNCIA PARA O BRASIL E O MUNDO

Muito se fala que as fontes renováveis de energia são um instrumento de qualidade de vida, preservação ambiental e economia financeira. Verdade seja dita: para a maioria dos consumidores, elas têm grande importância na redução da conta de luz..

Outro fator imprescindível é que o Brasil tem uma das matrizes energéticas mais renováveis do mundo. Conforme os dados do Ministério de Minas e Energia, nosso país apresenta cerca de 48% de fontes renováveis de energia — percentual cuja maior parte  se concentra na indústria hidrelétrica, mas com crescimento exponencial em outros setores. 

"O crescimento deste mercado é exponencialmente notável, seja pelo aumento da responsabilidade ambiental, pela pressão das entidades do setor ou até mesmo em razão da redução de custos. E para que este crescimento seja orgânico e sustentável, é preciso que o país aumente o nível de especialização em todos os aspectos do segmento - estrutural, financeiro, econômico, político, legislativo e etc”, destaca Sérgio Botelho, Diretor de Power & Energy da MDS Brasil.

Quer saber mais sobre o assunto? Neste artigo vamos mostrar como funciona o mercado de fontes de energia renováveis e como o Brasil se comporta diante das possibilidades de investimentos que surgiram nos últimos anos. Confira!

O que são fontes renováveis de energia?

As fontes renováveis de energia são fontes quase inesgotáveis que movem o planeta. O seu principal benefício é oferecer menos impacto negativo no meio ambiente. 

Entre elas, destacam-se:

  • Eólica : produzem energia através do vento;

  • Hidrelétrica: produção por fluxos de água, em fios de água ou barragens;

  • Solar: captada por painéis solares;

  • Geotérmica: energia que vem diretamente do calor da terra;

  • Ondomotriz: por meio do aproveitamento das ondas;

  • Maremotriz: ela vem por meio das alterações das marés;

  • Biomassa: gerada através de plantas, animais e, principalmente, por meio do etanol produzido pela cana.

Qual a diferença entre fontes de energia renováveis e não renováveis?

Enquanto as fontes renováveis de energias renovam e agridem em pouca proporção o meio ambiente, as fontes não-renováveis de energia são utilizadas por recursos esgotáveis excluídos em médio a longo prazo.

O ponto negativo em torno desse tipo de energia é que ela acarreta problemas ambientais, econômicos e políticos vindos da extração e da comercialização de suas matérias-primas.

Essa classe de fonte de energia se divide em duas categorias: combustíveis fósseis e energia nuclear. Confira:

Combustíveis fósseis

Os combustíveis fósseis têm um tempo longínquo de renovação, pois seus elementos levam milhões de anos para começarem a se reproduzir novamente na natureza. Eles podem ser utilizados de forma líquida (petróleo), sólida (carvão) ou gasosa (gás natural), e também são conhecidos pelo alto índice de carbono em sua composição.

Energia Nuclear

A energia nuclear vem da produção da eletricidade originada pelo calor dentro dos reatores que movimentam a fissão nuclear do urânio-235, material altamente radioativo que causa danos gravíssimos ao meio ambiente e à população. Isso porque a produção energética nuclear espalha resíduos nas proximidades das instalações, o que pode levar anos para perder a radioatividade.

Quais são as novas fontes renováveis de energia?

Embora consideradas novas fontes, as energias solar, eólica, maremotriz e a bioeletricidade (provenientes da biomassa) não são tão recentes como são classificadas, afinal, são encontradas há muito tempo na terra. No entanto, o que confere a elas o status de novidade é o fato de serem pouco exploradas e desenvolvidas. Nesse sentido, também são caracterizadas no mesmo segmento a água salobra e a fotossíntese artificial.

A importância do hidrogênio

O hidrogênio é um forte candidato a ganhar maior desenvolvimento no planeta, uma vez que estudos apontam diversos benefícios relacionados à sua utilização. No entanto, a fonte permanece em baixo desenvolvimento por conta da previsão de redução nas emissões de dióxido de carbono  —  medida tomada para manter o aumento da temperatura terrestre abaixo de dois graus Celsius.

O hidrogênio tem sido visto como alternativa abundante por sua flexibilidade, o que em escala natural contribuiria para suprir o setor industrial e o do transporte, como o naval e o aéreo, carentes de energia renovável.

O Plano Nacional de Energia (PNE), divulgado pelo Ministério das Minas e Energia, possui diretrizes para inseri-lo no sistema de energia brasileira, mas a proposta permanece no papel, dando espaço neste momento para fontes como o gás natural, energia solar e eólica.

Por fim, ainda existem vários contratempos para que o hidrogênio sirva como uma fonte renovável de energia. Um desafio ė a própria produção, já que seu desenvolvimento ocorre a partir do gás metano, distribuidor do poluente dióxido de carbono. Para se tornar uma fonte verde, ou seja, totalmente sustentável, é necessário aumentar a produção por meio da eletrólise da água do mar, e ser armazenado em temperaturas acima de 200 graus negativos. Isto é, um grande obstáculo pela frente.

Como o Brasil tem investido em fontes renováveis de energia?

De acordo com a revista Istoé, o Brasil é o terceiro país com maior capacidade de produção de energias renováveis, ficando somente atrás da China e dos Estados Unidos, com capacidade cumulativa de 150 gigawatts.

Outro fator interessante é que, nos últimos sete anos, a nação foi a que mais investiu em energia eólica e em energia solar. Não é por acaso que o Ministério de Minas e Energia prevê que, até 2040, 44% da eletricidade nacional venha do vento e do sol.

Como assegurar a saúde na produção de fontes de energia?

O mercado de fontes  de energia renováveis e não-renováveis é gigantesco e precisa de mais cuidados, principalmente quando se trata da saúde do ser humano. Esse segmento é cercado por acidentes com trabalhadores em plataformas, derramamento de combustíveis, apagões, incêndios, contaminação de óleo, entre outros danos que prejudicam os funcionários e o capital financeiro das empresas geradoras de energia.

"Os sinistros que cercam o segmento podem gerar perdas financeiras, patrimoniais, estruturais e até mesmo humanas. E quando não antecipados ou mitigados, tais danos podem ser irreversíveis. Em resumo, qualquer atuação no ramo desprovida de proteção pode resultar em uma eventual perda total”, enfatiza Botelho.

É por isso que contar com um seguro que evite maiores prejuízos se torna uma solução importante. Nesse sentido, a MDS Brasil, uma das maiores corretoras do país no segmento de seguros, resseguros e gerenciamento de riscos, pode fortalecer a produtividade na sua empresa.

Converse com a MDS e tenha o prazer em ter a melhor proteção para a gestão da saúde física e financeira do seu negócio.

FALE COM UM DE NOSSOS ESPECIALISTAS 

Siga também as nossas páginas no LinkedIn, Facebook e Instagram para acompanhar o panorama, tendências e as novidades do mercado. 

 


Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, você está consentindo o seu uso.Saiba mais

Compreendi