voltar

O SETOR DE SEGUROS E AS PERSPECTIVAS DE NEGÓCIOS NO CAMPO

07.06.2022
O SETOR DE SEGUROS E AS PERSPECTIVAS DE NEGÓCIOS NO CAMPO
Matéria originalmente produzida e publicada no Seguro Nova Digital


O plantio, é opcional. Mas a colheita, é satisfatória. De acordo com informações divulgadas pela CNseg – Confederação Nacional das Seguradoras, no primeiro trimestre de 2022, esse tipo de seguro apresentou crescimento de 50,3% em relação ao primeiro trimestre do ano passado, em decorrência do aumento da demanda. O Ministério da Agricultura divulgou o Programa de Subvenção do Prêmio Seguro Rural (PSR), para o exercício de 2022, um número maior de produtores poderá efetuar a contratação dessa modalidade de seguro, que cumpre um papel importante no campo, quando as garantias alcançam pequenos e médios produtores rurais.

Conforme consta no Mapa do orçamento já disponibilizado, R$ 500 milhões serão para as culturas de inverno (milho 2ª safra, trigo e demais grãos dessa estação), R$ 324 milhões para os grãos de verão, R$ 72 milhões para as frutas, R$ 12 milhões para a modalidade pecuária R$ 72 milhões para as frutas, R$ 12 milhões para a modalidade pecuária, R$ 2 milhões para a modalidade de florestas e R$ 80 milhões para as demais culturas.

Para o Presidente da CNseg, Dyogo de Oliveira, a iniciativa vai gerar suporte e auxiliar na expansão do seguro rural.

"A medida deve ajudar na expansão do seguro rural, justamente por reduzir seus custos de aquisição pelos produtores. O seguro é vital para mitigar os riscos que envolvem as atividades agrícolas”, afirma Dyogo Oliveira, presidente da Confederação Nacional das Seguradoras – CNseg.

O órgão do governo informou que o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) para o exercício de 2022 deverá garantir a contratação de aproximadamente 140 mil apólices de seguro rural em todo o país. Com o mapa do orçamento já disponibilizado, R$ 500 milhões serão para as culturas de inverno (milho 2ª safra, trigo e demais grãos de inverno), R$ 324 milhões para os grãos de verão, R$ 72 milhões para as frutas, R$ 12 milhões para a modalidade pecuária, R$ 2 milhões para a modalidade de florestas e R$ 80 milhões para as demais culturas.

Atualmente, 16 seguradoras estão habilitadas a operar no PSR. Em 2021, as indenizações pagas no seguro rural somaram R$ 5,4 bilhões. Já no primeiro trimestre desse ano, as seguradoras já pagaram R$ 5,8 bilhões em indenizações a produtores, de acordo com o Mapa.

Os Seguros Rurais se dividem em algumas modalidades, tais como: Agrícola, Florestal, Aquícola e Patrimonial Rural Danos. Os Seguros Agrícolas contemplam as atividades de grãos, frutas, olerícolas, café e Cana de Açúcar; o Seguro Florestal compreende as atividades de silvicultura (florestas plantadas); o Seguro Pecuário abrange coberturas relacionadas a aves, bovinos, bubalinos, caprinos, equinos, ovinos e suínos; o Seguro Aquícola é voltado a carcinicultura, maricultura e piscicultura; Já os Seguros Patrimonial Rural Danos, o é direcionado a benfeitorias rurais, conteúdo, mercadorias da atividade e máquinas e equipamentos agrícolas.

A comercialização do seguro

O seguro rural possui a finalidade de proteger a produtividade do produtor, mediante os eventos climáticos, proporcionando coberturas que vão desde o início do plantio, com cobertura adicional de replantio, até o momento da colheita – no caso dos grãos, beneficiando o setor como um todo. É uma ferramenta de suporte que auxilia ao agricultor, garantindo a perenidade do seu negócio, uma vez que uma apólice com condições bem estruturadas garante que o segurado, tenha recursos suficientes para pagar as dívidas referentes ao seu custo de produção, mesmo em períodos com condições climáticas desfavoráveis.

Sabemos que os profissionais que atuam com gestão no agronegócio investem cada vez mais em tecnologia, a exemplo de sementes e fertilizantes de maior qualidade e valor agregado. Isso faz com que busquem maior proteção também. Com maior percepção de risco, os produtores agrícolas encontram no seguro a minimização das perdas, que podem ser variadas para esse setor. 

Na opinião do superintendente Agro da Tokio Marine, Joaquim Cesar Neto, essa cadeia de negócios requer qualificação e aperfeiçoamento para quem for comercializar esses produtos voltados para a agricultura. "Os produtores rurais estão cada vez mais exigentes, porque investem muito e querem produtos e um atendimento à altura desses investimentos e da importância do setor. Por isso, o ponto fundamental para os Corretores aproveitarem as oportunidades é aperfeiçoamento e busca de conhecimento. É fundamental acompanhar a evolução do agronegócio, entender que os investimentos em tecnologia estão cada vez maiores e ofertar seguros que mitiguem os riscos dos produtores agrícolas”, explicou.

A Superintendente de Agronegócio da MAPFRE, Catia Rucco Rivelles, informa que a rotina de quem atua gerindo negócios no campo e na lavoura, não se preocupa somente com os seguros voltados para a agricultura. A consultoria de quem oferece seguro para esse público, é essencial para a expansão da carteira dos corretores de seguros.

"O cotidiano do produtor rural não se resume apenas à sua atuação no campo. O corretor tem que atuar de forma consultiva, sempre próxima ao cliente dos seguros rurais, para observar quais as reais necessidades e oferecer produtos diversos que gerem valor agregado à vida e ao patrimônio dos agricultores e de suas famílias. Ainda assim, o processo de consolidação do seguro está associado a uma alta perspectiva de desenvolvimento, em que o produtor busca por proteção. As seguradoras passam também por um processo de estruturação para se adequarem a este crescimento. Temos muitos desafios pela frente, como garantir a pulverização de risco para um melhor equilíbrio de carteira, garantir que as políticas públicas continuem incentivando a contratação do seguro por meio das subvenções e mais divulgação sobre os seguros rurais”, concluiu. 

A consultoria qualificada ao produtor rural

O seguro que pode ser oferecido para quem atua na esfera da agricultura, são ferramentas de gestão de riscos que os empresários podem adquirir, para proteger seus ciclos de produção contra os principais imprevistos que o cercam. Outros ramos podem agregar valor entre o bem patrimonial e familiar desses produtores rurais. Essas soluções atingem a meta de efetuar não só a manutenção desses gestores do agro em suas atividades evitando renegociações de dívidas, perdas de patrimônio, diminuição de crédito e demais ocorrências. A Seguro Nova Digital preparou esse conteúdo especial, com o propósito de compartilhar informações dos principais especialistas no assunto:

Danilo Rosa – Diretor de Agronegócio da MDS Brasil

"O produtor rural é um empresário do Agronegócio que, além de lidar com a lavoura, tende a desempenhar outras atividades do setor econômico. Em seu dia a dia, esse profissional pode utilizar aeronaves e frotas, gerenciar quadros de colaboradores e muito mais, portanto, é um consumidor em potencial de outras modalidades de seguros. É preciso parar de enxergar o produtor rural apenas como uma figura simplista e operacional das lavouras. E necessário reconhecê-lo como um verdadeiro empresário do setor do agronegócio que consome produtos e serviços como qualquer outro executivo, gera empregos e movimenta uma das principais economias do país”.

Paulo Vitor Rodrigues – Líder de Agronegócios, Alimentos e Bebidas LatAm

"É possível pulverizar a carteira de seguros, oferecendo outros produtos para que em momentos de endurecimento de mercado, o corretor tenha uma diversificação em sua carteira de clientes e produtos. Nesse ponto, o seguro rural auxilia o produtor garantindo a perenidade do seu negócio, uma vez que uma apólice com condições bem estruturadas garante que o segurado tenha recursos suficientes para pagar as dívidas referentes ao seu custo de produção, mesmo em períodos com condições climáticas desfavoráveis”. 

Bernard Biolchini –  CEO da Pentagonal Seguros e Franquias

Acredito que o mercado de seguros possui corretoras capacitadas e com visão ampla do setor . A nossa área de atuação é muito vasta e  o seguro rural, embora possa ser o ponto focal de entrada, é apenas o negócio inicial . As pessoas e  as empresas envolvidas nesse ecossistema possuem necessidades de contratação de outros seguros . É correto afirmar que existe sim, uma maneira de ser eficiente em um nicho como o Seguro Rural e prestar assistência nos demais ramos”.

Carine Huber – Franqueada da Pentagonal Guarantã do Norte - MT

"Há tempos nossa realidade aqui no Mato Grosso, em especial o seguro rural e agrícola, vem se destacando. A maioria dos produtores de bovinos e grãos são empresários voltados para a atividade rural, além de possuírem possuem outros ramos de comércio na região. Ao citarmos esses segurados, negociamos com uma gama de seguros que podem ser comercializados, porque atuamos com empreendedores que precisam de proteção para o seguro de equipamentos, mercadorias, lavoura, empresarial e da propriedade), E temos um pai de família, que pensa no seu bem maior. Aproveitamos para oferecer os seguros auto, residencial e os seguros de pessoas”.

Milton Sergio Painelli – Proprietário da Fazenda das Palmeiras – Formosa do Oeste - PR

"O seguro agrícola se tornou uma ferramenta indispensável para o produtor rural, pois ameniza as percas com interperies climáticos que possam acontecer nas lavouras. Mas é de suma importância também o produtor verificar as coberturas necessárias, para contratar os seguros, tendo um diálogo transparente com a corretora de seguros que presta o atendimento”.
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, você está consentindo o seu uso.Saiba mais

Compreendi